- Sputnik Brasil, 1920
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Putin chama tarifas dos EUA sobre veículos elétricos chineses de 'concorrência desleal'

© Sputnik / Sergei GuneevO presidente russo, Vladimir Putin, discursa durante uma reunião com estudantes e professores do Instituto de Tecnologia de Harbin, em Harbin, província de Heilongjiang, China, 17 de maio de 2024
O presidente russo, Vladimir Putin, discursa durante uma reunião com estudantes e professores do Instituto de Tecnologia de Harbin, em Harbin, província de Heilongjiang, China, 17 de maio de 2024 - Sputnik Brasil, 1920, 17.05.2024
Nos siga no
Durante sua visita à China nesta sexta-feira (17), o presidente Vladimir Putin disse que as tarifas dos Estados Unidos sobre veículos elétricos fabricados no país asiático são um "exemplo de concorrência desleal".
O líder russo analisou que, "infelizmente, da forma como o mundo funciona hoje, por vezes surgem situações relacionadas com a concorrência desleal. Foi assim que os americanos impuseram recentemente sanções à China ao transporte elétrico, aos carros elétricos. Por quê? Porque os carros chineses melhoraram", disse Putin.
Washington aumentou, na terça-feira (14), tarifas sobre US$ 18 bilhões (R$ 92,4 bilhões) em produtos chineses, incluindo veículos elétricos, baterias, semicondutores, aço, alumínio, minerais essenciais, células solares, guindastes de transporte marítimo e produtos médicos, enquanto manteve as tarifas da era Trump sobre mais de US$ 300 bilhões (R$ 1,5 trilhão).
Bandeiras dos EUA e da China em uma sala onde o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, se reúne com o ministro de Segurança Pública da China, Wang Xiaohong, na Diaoyutai State Guesthouse, 26 de abril de 2024, em Pequim, China - Sputnik Brasil, 1920, 14.05.2024
Panorama internacional
China reage a novas tarifas dos EUA e promete ação resoluta: 'Biden quebra seus compromissos'
Ao mesmo tempo, o presidente afirmou que as sanções impostas sem a autorização da Organização das Nações Unidas (ONU) são ilegais, enquanto a sua propagação a terceiros países vai contra o bom senso.

"As sanções contra países terceiros – agentes econômicos – são duplamente, triplamente ilegais. Porque são impostas sem a autorização da ONU, não são legítimas em geral, por isso vão além do bom senso quando dizem respeito a países terceiros", respondeu Putin quando solicitado a comentar o impacto das sanções sobre pagamentos entre Pequim e Moscou, durante uma conferência de imprensa na China.

O presidente russo acrescentou que o fato de tais decisões serem tomadas afeta diretamente a economia global.
"Não só prejudica os países e os seus operadores a quem estas decisões se destinam, mas também [prejudica] a economia global em geral: a energia e outras esferas da atividade econômica também", afirmou.
Em um pacote abrangente anunciado pelo Departamento do Tesouro dos EUA no início deste mês, Washington sancionou quase 300 entidades na Rússia, China e outros países por seu comércio com Moscou.
Pequim classificou as novas sanções como "ilegais" e instou os Estados Unidos "a deixarem de difamar e conter a China e a parar de implementar sanções ilegais e unilaterais de forma desenfreada", com o governo chinês prometendo "tomar medidas", conforme noticiado.
Logo da emissora Sputnik - Sputnik Brasil
Acompanhe as notícias que a grande mídia não mostra!

Siga a Sputnik Brasil e tenha acesso a conteúdos exclusivos no nosso canal no Telegram.

Já que a Sputnik está bloqueada em alguns países, por aqui você consegue baixar o nosso aplicativo para celular (somente para Android).

Também estamos nas redes sociais X (Twitter) e TikTok.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала